inova logo branca
igor pinheiro ceo

Igor Pinheiro

C.E.O da Inova Civil
Ativo 17

Alvenaria Estrutural: Vale a Pena Usar o Sistema Construtivo Mais Antigo do Mundo?

Talvez você não saiba, mas a alvenaria estrutural é um processo construtivo que está presente na humanidade há milhares de anos e muitos dos monumentos mais conhecidos no mundo foram executados em alvenaria estrutural. Alguns deles são: a Muralha da China, Catedral de Notre Dame e o Coliseu.

Mas quais motivos fazem com que a alvenaria estrutural seja um sistema construtivo muito utilizado até hoje? Qual é a diferença entre a alvenaria estrutural e a alvenaria de vedação? Quais as vantagens?

 Muralha da China (China), Catedral de Notre Dame (Paris), Coliseu (Itália)
Figura 1: Muralha da China (China), Catedral de Notre Dame (Paris), Coliseu (Itália)

1. HISTÓRICO

Inicialmente o processo ocorria através do empilhamento de blocos de rocha, mas por volta de 4000 a.C. foram empregados tijolos, visto que a argila passou a ser trabalhada e utilizada em construções. 

No Brasil, os primeiros edifícios executados em alvenaria estrutural só surgiram na década de 1960, atingindo o auge em 1980 com a construção de conjuntos habitacionais. Assim, esse sistema ficou conhecido como um sistema para baixa renda. 

2. CARACTERÍSCAS DA ALVENARIA ESTRURAL

Esse método construtivo se caracteriza pelo fato de a estrutura e a vedação serem executadas ao mesmo tempo, pois a parede não tem apenas a função de vedar e dividir ambientes, ela também desempenha um papel estrutural. Sendo assim, não há a necessidade do uso de vigas e pilares.

Os blocos utilizados nesse método, podem ser de concreto ou cerâmica e são utilizados com os furos na vertical, para facilitar a passagem de instalações hidrossanitárias e elétricas, caracterizando a obra em que utiliza alvenaria estrutural como uma obra racionalizada.

Execução de alvenaria estrutural com instalações embutidas
Figura 2: Alvenaria estrutural com instalações embutidas

A alvenaria estrutural também pode ser encontrada de duas formas: alvenaria estrutural armada (edifícios mais altos) e não armada (até 4 pavimentos), embora a maioria seja classificada como não armada, por apresentar pouca quantidade de armadura.

De acordo com a NBR 15812-1: Alvenaria Estrutural – Blocos Cerâmicos, um elemento de alvenaria estrutural armada são elementos na qual são utilizadas armaduras passivas, que são dimensionadas para resistir aos esforços solicitantes. Ou seja, sempre que as tensões forem superiores ao resistido pela argamassa, deve ser adicionada uma armadura.

E o elemento de  alvenaria estrutural não armado é quando não há armadura dimensionada para resistir aos esforços solicitantes, como a tração. Nesse caso, a armadura adicionada tem apenas função construtiva.

3. ALVENARIA ESTRUTURAL x ALVENARIA DE VEDAÇÃO

Como a vedação e a estrutura da edificação são realizadas simultaneamente, é comum confundir alvenaria de vedação e alvenaria estrutural, mas é importante saber a diferença entre elas. 

Diferença entre alvenaria estrutural e alvenaria de vedação
Figura 3: Alvenaria estrutural e alvenaria de vedação

Em obras residenciais no Brasil, a alvenaria de vedação é o método mais utilizado, apesar de ter uma execução mais demorada. Ela se caracteriza por ser responsável pelo fechamento das casas e separação de ambientes.

Diferente da alvenaria estrutural, a sustentação se dá por meio de vigas, lajes e pilares, nos quais esses elementos absorvem todas as cargas recebidas da residência. Além disso, por conter esses componentes, há a possibilidade de mudanças no imóvel sem afetar a estrutura.

Como vimos anteriormente, na alvenaria estrutural, a sustentação ocorre através das paredes, que sustentam o peso da laje e da cobertura. É muito comum ver esse tipo de obra em edifícios com fachadas mais simples, sem elementos que possam sobrecarregar a estrutura.

Por não existir vigas e pilares como na alvenaria de vedação, a execução se torna mais rápida devido a inexistência do tempo de cura do concreto desses itens. Entretanto, este fator compromete uma futura reforma, pois inviabiliza a retirada de paredes.

4. QUANDO DEVEMO USAR A ALVENARIA ESTRUTURAL?

Tendo em vista a economia e praticidade, esse é um bom método para se utilizar em condomínios residenciais.

Ele passa a ser vantajoso quando o projeto é simples, sem muitos itens de vidro ou muitas esquadrias. Quando o terreno é plano também é indicado, pois a dificuldade de manter a estrutura estabilizada será menor, então não requer algo mais elaborado estruturalmente falando.

Além disso, em programas sociais, onde os imóveis são concebidos através de um mesmo projeto, utiliza-se esse modelo. Tem-se como benefícios a rapidez, por ser algo padronizado também na execução, e economia.

5. COMPONENTES DA ALVENAIRA ESTRUTURAL

Bloco: o bloco é a unidade básica que forma a alvenaria. Eles possuem geometrias que garantem a resistência aos esforços de compressão, podendo ser maciços ou vazados. Quando vazados, permitem a passagem de armaduras, encanamentos, eletrodutos e concreto. 

O tipo de bloco usado na parede de alvenaria estrutural, bloco de concreto classe A e B, também é conhecido como bloco portante. São blocos robustos, que suportam o próprio peso e outras cargas e possuem furos verticais, que permitem a identificação de um possível colapso. 

Enquanto isso, os blocos de vedação possuem furos horizontais, são mais frágeis, suportam apenas o próprio peso e o colapso é brusco. Dessa forma, não é indicado para uso estrutural.

Bloco de vedação e bloco estrutural  respectivamente
Figura 4: Bloco de vedação e bloco estrutural respectivamente

Argamassa: normalmente constituída por cimento, areia, cal e água, podendo conter aditivos ou não. Tem como função unir os blocos e transferir os esforços entre eles, absorver deformações e vedar as fendas e espaços para evitar a entrada de vento e água.

Graute: é um microconcreto de alta plasticidade, composto por cimento, cal, areia, brita 0 e água. Sua função é aumentar a resistência à compressão da parede, que ocorre por meio do aumento da seção transversal do bloco. 

O graute deve envolver as armaduras e aderir tanto a ela quanto ao bloco, deve ter resistência duas vezes maior que a do bloco e deve combater os  esforços de tração que a alvenaria sem reforços não resistiria.

Armadura: são barras de aço, que são utilizadas juntas com o graute e tem a função de resistir aos esforços de tração e cisalhamento, aumentando a resistência dos elementos estruturais e evitando a fissuração destes e ainda evita o surgimento de outras manifestações patológicas.

6. PROCESSO EXECUTIVO

Para que a alvenaria estrutural seja eficiente na sua função de distribuir as cargas através das paredes até a fundação e ao solo, é necessário que seja feito um dimensionamento dos espaços e vãos. 

Dessa forma, com a geometria e o dimensionamento adequado, as paredes conseguem trabalhar em conjunto, de modo a resistirem às cargas verticais a às cargas laterais, distribuindo-as de maneira uniforme, para que não haja sobrecarga em nenhuma delas.

Além do dimensionamento, assim como no sistema tradicional, é importante fazer um gabarito. O gabarito é feito de acordo com o projeto arquitetônico e marca o posicionamento das fiadas dos blocos a serem utilizados, consequentemente, isso ajuda a guiar quem está executando as alvenarias.

Com o gabarito finalizado e tudo dimensionado corretamente, podemos seguir para a execução. A alvenaria estrutural é feita da seguinte forma:

Execução da alvenaria estrutural
Figura 5: Execução da alvenaria estrutural

PASSO 1: Primeiro deve-se impermeabilizar a viga baldrame para que o processo de levantamento de paredes seja iniciado.

PASSO 2: A primeira fiada deve ser marcada de acordo com a planta baixa e com o gabarito. O assentamento da primeira fiada deve começar pelos cantos e deve ser conferida antes de assentar a segunda fiada, para evitar erros que não serão passíveis de correção posteriormente.

PASSO 3: As demais fiadas devem ser assentadas, mas com o cuidado de demarcar os pontos onde serão instaladas as vergas e contravergas, as tubulações hidráulicas e elétricas, entre outros elementos.

É importante a constante verificação e compatibilização do projeto com a execução nesse passo para evitar rasgos desnecessários e resíduos em excesso.

PASSO 4: A próxima etapa consiste em passar as tubulações hidráulicas e elétricas pelos blocos até o ponto de saída.

PASSO 5: Quando as paredes atingirem a altura das vergas e contravergas, elas devem ser instaladas e niveladas horizontalmente, de forma a deixar um vão, que virá a ser uma janela ou porta. 

Em casos em que as vergas e contravergas não forem pré-moldadas, são utilizados blocos canaletas, que são preenchidos com barras de aço e concreto.

PASSO 6: Por fim, após o assentamento da última fiada, as barras de aço são inseridas nos espaços existentes nos blocos e o graute é colocado para dar resistência e preencher os vazios restantes.

7. VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ALVENARIA ESTRUTRUAL

Dentre as vantagens de utilizar alvenaria estrutural podemos citar:

  • É uma construção mais rápida, mais segura e econômica;
  • O uso de blocos de cerâmica ou de concreto com resistência à compressão variadas que caem à medida que o edifício fica mais alto, contribui para a redução de custos;
  • O tempo de entrega da obra é bem menor pois várias etapas podem ser feitas ao mesmo tempo e como não há tempo de espera pela secagem de pilares e vigas para a construção das paredes, uma vez que esses elementos são inexistentes, isso também reduz o tempo de execução;
  • Há a redução no uso de formas de madeira e de mão-de-obra diversificada, pois alguns serviços que seriam feitos em uma alvenaria convencional, aqui eles não são necessários;
  • As obras são mais limpas, pois geram menos entulhos.

Já as desvantagens de utilizar esse sistema construtivo são:

  • As paredes não devem ser removidas sem ser substituídas por outro elemento estrutural, pois podem causar danos graves;
  • Há uma dificuldade em efetuar modificações no projeto arquitetônico original, tendo isso como um fator inibidor de vendas, uma vez que muitos compradores tendem a reformar o imóvel;
  • Os vãos livres são limitados pela falta de pilares para suportar as cargas da laje;
  • Ainda existe também uma dificuldade na compatibilização de projetos, porque não é recomendado que sejam feitos rasgos na parede e todos os projetos devem ser otimizados visando a execução sem interferência na estrutura.
  • Por fim, edifícios executados em alvenaria estrutural apresentam grande massa, portanto, podem não ser indicados para regiões que apresentam terremotos frequentes.

E então, diante de tudo o que vimos até aqui, será mesmo que hoje em dia ainda vale a pena utilizar a alvenaria estrutural?

Apesar de ser um sistema construtivo extremamente antigo, com o avanço da tecnologia ele continua sendo aprimorado e a expectativa é de que ainda possa ser utilizado futuramente nas grandes cidades.

Também ficou claro que é um método limitado e não permite mudanças de última hora. Contudo, isso garante uma gestão de recursos e tempo e permite que a obra seja mais otimizada.

Portanto, podemos concluir que a alvenaria estrutural é uma solução construtiva racional, que é adotada em todo o mundo e é capaz de reduzir custos e desperdícios, tornando-se uma alternativa viável para vários tipos de empreendimentos.

REFERÊNCIAS

KALIL, Sílvia Baptista; LEGGERINI, Maria Regina. Estruturas Mistas – Concreto Armado X Alvenaria Estrutural. Curso de Graduação. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 

NONATO, Luiz Fernando Costa. Alvenaria Estrutural Descomplicada. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15812 – Alvenaria Estrutural – Blocos Cerâmicos. Rio de Janeiro: ABNT, 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 16868 – Alvenaria Estrutural. Rio de Janeiro: ABNT, 2021.

Figura 1: Disponível em:

Figura 1 – Disponível em: < https://www.google.com/search?q=alvenaria+estrutural+monumentos+antigos >;

Figura 2 – Disponível em: < https://revista.anicer.com.br/posso-embutir-instalacoes-hidraulicas-na-alvenaria-estrutural/ > ;

Figura 3 – Disponível em: <

http://projettajr.com.br/uncategorized/alvenaria-de-vedacao-x-alvenaria-estrutural/

Figura 4 – Disponível em: < https://ceramicasantaclara.files.wordpress.com/ >;

Figura 5 – Disponível em: <

Siga nossas redes sociais:
logo cinza inova
Todos os direitos reservados® – Inova Civil Plataforma Educacional | CNPJ 22.371.237/0001-11
Políticas de Privacidade & Termos de Uso