inova logo branca
igor pinheiro ceo

Igor Pinheiro

C.E.O da Inova Civil
Ativo 17

Projeto de Instalações Hidrossanitárias : Como Funciona

As instalações hidrossanitárias são essenciais em qualquer edificação, mas costumam ser negligenciadas. Cerca de 75% das manifestações patológicas em edificações são causadas por deficiências das instalações hidrossanitárias. 

Um projeto hidrossanitário bem realizado e uma boa execução são a melhor forma de prevenir esses problemas e evitar grandes prejuízos posteriormente. 

Figura 1 - Projeto hidrossanitário
Figura 1 – Projeto hidrossanitário

O que é o projeto de instalações hidrossanitárias

O Projeto hidrossanitário é referente ao projeto hidráulico e sanitário, eles orientam a distribuição de água fria, água quente, esgoto, águas pluviais, etc, através de conjuntos de conexões, tubos, e outros equipamentos que são introduzidos na edificação. 

Um projeto hidrossanitário vai além da marcação dos pontos de utilização como chuveiros, torneira, é o mapeamento de todo o sistema englobando desde a água potável(geralmente vem pela concessionária) até o descarte das águas após uso(efluentes) e das águas pluviais. 

Essa é a diferença entre um projeto hidrossanitário e um projeto hidráulico. Enquanto no projeto hidráulico são abordados apenas os sistemas de água quente e água fria, no hidrossanitário são adicionados os sistemas sanitários e pluviais. 

Aqui vamos conhecer qual é o passo a passo para realizar um bom projeto hidrossanitário. 

O passo a passo de um projeto de instalações hidrossanitárias

  • Água fria 

O projeto hidrossanitário de água fria é composto por seus elementos gráficos, o memorial, alimentação, reservação e distribuição de água fria na edificação, desenhos e especificações técnicas que definem a instalação do sistema de recebimento. 

Nessa etapa é representada a locação das entradas de água(hidrômetro e registro), a localização da caixa d’água e a representação das colunas de distribuição. 

Além disso, são representados também a localização dos pontos de utilização e dos seus ramais e sub-ramais de distribuição. Ao final deve-se ter o memorial e os elementos gráficos que possibilitam o entendimento do projeto. 

Para que um projeto de água fria seja aprovado é necessário estar de acordo com as normas da ABNT(sendo a principal a NBR 5626:1998), com a vigilância sanitária, corpo de bombeiros, prefeitura municipal e outros órgãos competentes que podem variar de acordo com a localização. 

Figura 2 – Resumo de um projeto de água fria

São consideradas, de forma básica, três etapas para a elaboração de um projeto de instalações de água fria: 

  • Concepção do projeto:

Essa é a etapa mais importante do projeto, nela são definidos o tipo de edificação e qual a sua utilização, qual a sua capacidade, o tipo de sistema de abastecimento, os pontos de utilização, localização dos reservatórios, sistemas de distribuição e aparelhos necessários. 

  • Determinação das vazões:

A determinação das vazões das tubulações que compõem o sistema é feita através com base nos dados e tabelas da Norma e a determinação das necessidades de reservação e capacidade dos equipamentos. 

Além disso, é necessário considerar, de acordo com as necessidades do tipo de projeto, instalações direcionadas para a proteção e combate a incêndios. 

  • Dimensionamento: 

O dimensionamento das tubulações é realizado com base nos conceitos de hidráulica, na quantidade de aparelhos que serão abastecidos e por suas vazões.

  • Água quente

O projeto de água quente é necessário prever a tubulação que leva a água até os pontos de utilização, essa tubulação é feita de forma separada da tubulação de água fria.

Figura 3 – Instalação de água fria e instalação de água quente 

Essas instalações têm como função fornecer água quente para banhos, higiene, utilização de cozinhas, lavagem de roupas, finalidades médicas ou industriais, dependendo do tipo de projeto em questão. 

De acordo com a norma(Instalações prediais de água quente: normas recomendadas pela Associação Brasileira de Normas e Técnicas (PNB-128-ABNT), as instalações de água quente devem fornecer garantia de funcionamento de água suficiente, com temperatura adequada, sem ruído e sob pressão necessário para o funcionamento das peças de utilização e preservação rigorosa da qualidade da água. 

As temperaturas mais usuais para cada tipo de utilização estão apresentado na tabela abaixo: 

Figura 4 – Temperaturas usuais para uso de água quente 

O abastecimento de água quente pode ser de três sistemas:

– Aquecimento individual ou local: 

A água fria que vem das colunas normais de abastecimento é direcionada para o contato com uma fonte de produção de calor (energia elétrica, gás, óleo) e tem sua temperatura elevada para que fique nas condições de utilização. 

Costumam atender a poucos aparelhos e são utilizadas em banheiros e cozinhas. 

– Aquecimento central privado (domiciliar): 

Nesse caso existe uma instalação central para a unidade residencial e dela partem as tubulações de água quente que abastecem os pontos de utilização (banheiros, cozinhas, lavanderias, etc.).

– Aquecimento central do edifício: 

Uma instalação geral localizada normalmente no térreo ou subsolo, dela partem as ligações de água quente para as unidades da edificação. 

  • Reservatórios

O dimensionamento do reservatório leva em consideração o tipo de edificação (residencial, comercial, restaurantes, hospitais), qual o padrão (residência de alto padrão, médio ou baixo padrão), a quantidade de usuário e etc. 

Tudo isso vai interferir em como é feito o uso da água e consequentemente nos padrões de consumo. 

Essa necessidade é calculada com base no projeto arquitetônico, nele será possível analisar quantos quartos, banheiros, cozinhas, jardins, ou seja, analisar qual é a demanda de água necessária para atender a edificação. 

Com o projeto arquitetônico e as tabelas que dão uma noção do volume de água necessário para cada uso é possível calcular o volume total do reservatório. 


Exemplo: 

Vamos calcular o volume de água necessário para uma residência que possui 3 dormitórios e uma área de 20 m² de jardim. 

Passo 1: Calcular a demanda diária 

A residência possui 3 dormitórios e segundo a Tabela 2, devem ser contabilizadas 2 pessoas por dormitório. Logo a residência terá 6 pessoas

Com base na Tabela 3 o consumo de água por dia numa residência é de 150 por pessoa e para jardins é de 1,5 litros por m² por dia. 

Logo: 

V = 6 pessoas x 1500 litros/pessoa.dia + 20 m² x 1,5 litros/m².dia 

V = 930 litros/dia

Além disso, deve-se atentar para as necessidades de reserva para proteção contra incêndio, o volume necessário para essa reserva é estabelecido na norma. Aqui adotaremos 15% de reserva para proteção contra incêndio. 

Volume diário = 930*(1 + 15%)

Volume diário = 1070 litros por dia

Passo 2: Calcular o volume do reservatório

Para calcular o volume do reservatório multiplicamos o volume diário pelo período do qual se deseja ter reserva para garantir o abastecimento. 

Normalmente, utiliza-se 2 dias, logo: 

Volume do reservatório = 2 x volume diário

Volume do reservatório = 2140 litros 

Figura 5
Figura 6
  • Sanitário 

A instalação predial de esgoto tem como objetivo coletar e conduzir para longe das edificações os despejos advindos do uso dos aparelhos sanitários. 

O sistema sanitário compreende desde a captação nos pontos de utilização ( bacias sanitárias, tanques, pias, lavatórios, etc.), até o seu despejo, seja na rede de coleta pública ou em fossas sépticas. 

No projeto de esgoto sanitário devem ser locados os ralos, definir quais materiais e peças que serão utilizadas, locar as caixas de passagem, de gordura, inspeção, os filtros, etc. 

Figura 7 – Exemplo de tubulação de esgoto
  • Pluvial

O projeto pluvial tem como objetivo captar e dar um destino para as águas da chuva. Esse projeto engloba as águas advindas das coberturas, de áreas impermeáveis não cobertas e as águas de infiltração de áreas permeáveis como jardins. 

Essa água captada não deve ser direcionada para a rede pública de esgoto, ela pode ser armazenada para ser reutilizada, direcionada para um sistema de despejo individual ou para a rede pública de captação de águas pluviais. 

Normas de importante observância para a construção de instalações hidrossanitárias

As principais normas que precisam ser seguidas para a realização de projetos hidrossanitários 

  • NBR 5626/1998 – Instalações Prediais de Água Fria
  • NBR 7198/1993 – Instalações Prediais de Água Quente
  • NBR 7229/1993 – Projeto, construção e operação de sistemas de tanques
  • NBR 8160/1983 – Instalações Prediais de Esgotos Sanitários
  • NBR 13969/1997 – Tanques sépticos – Unidades de tratamento 

Referências

Figura 1 – Disponível em: <http://ew7.com.br/hidrossanitario/>;

Figura 2 – Disponível em: <https://www.projetou.com.br/posts/projeto-hidrossanitario-para-que-serve-e-passo-a-passo-de-como-fazer/#3>;

Figura 3 – Disponível em: <https://www.cardal.com.br/aqcentralflexdigital.html >;

Figura 5 e 6  – Disponível em: <  https://www.escolaengenharia.com.br/dimensionamento-caixa-dagua/ >;
Figura 7 – Disponível em: < https://neoipsum.com.br/projeto-de-ventilacao-sanitaria/>

Siga nossas redes sociais:
logo cinza inova
Todos os direitos reservados® – Inova Civil Plataforma Educacional | CNPJ 22.371.237/0001-11
Políticas de Privacidade & Termos de Uso