inova logo branca
igor pinheiro ceo

Igor Pinheiro

C.E.O da Inova Civil
Ativo 17

Software Paramétrico: Entenda como funcionam

      Nas mais diversas áreas o é conhecimento transmitido sob forma gráfica e nas engenharias isso não é diferente, o software paramétrico é uma forma de melhorar cada vez mais essa transmissão de informações.  

     Na engenharia civil, durante muitos anos a prancheta foi o método mais utilizado para fazer projetos, o que fazia o trabalho ser muito lento.

      Com os projetos feitos a mão eram necessários vários desenhistas para representar o projeto de forma detalhada e caso houvesse algum erro era necessário apagar com borracha, o que muitas vezes podia acabar danificando o papel e estragando todo o trabalho que havia sido feito. 

      Além disso, para transportar o projeto era necessário carregar uma grande quantidade de folhas e caso fosse feita qualquer pequena alteração era necessário refazer todos os vários desenhos. 

Figura 1 – Projeto antes do Autocad.

      Esses detalhes faziam com que a produtividade fosse muito baixa. Por isso, ao longo do anos com o desenvolvimento da computação gráfica os desenhos passaram a ser assistidos por computadores e se tornaram mais rápidos. 

      A partir do surgimento de softwares como o Autocad tornou-se possível armazenar uma grande quantidade de projetos em um pequeno espaço como um pendrive, a facilidade para enviar projetos cresceu muito, para apagar algum erro basta selecionar uma linha e deletar e o mesmo arquivo pode ser impresso várias vezes. 

Figura 2 – Projeto em Autocad.

      Essas pequenas mudanças aumentaram a produtividade, porém,  mesmo com projetos realizados em CAD ainda era necessário uma maior velocidade maior na realização de projetos pois o mercado continuava evoluindo e se tornando cada vez mais competitivo.

      É inegável que o Autocad trouxe uma grande evolução para o setor da construção civil. Mas, na verdade ele não modificou muito a forma de projetar. Esse software apenas produz o desenho digitalizado, ou seja, ele possui exatamente as mesmas informações que aquele feito a mão. 

      Esse é grande diferencial de um software paramétrico! Com esse tipo de programa já não estamos apenas representando o desenho, também podemos adicionar uma enorme quantidade de informações a essa representação. 

       Ao fazer a modelagem 3D utilizando um software paramétrico é possível associar o modelo a tabelas que armazenam esses dados, como dimensões e tipo de material. Além do mais, nessas tabelas é possível fazer modificações que automaticamente são atualizadas em todos as pranchas, cortes e vistas do desenho. 

      Quando essa associação acontece temos um processo chamado de parametrização. Atualmente existem diversos softwares parametrizados, o mais utilizado no mercado da engenharia civil e arquitetura é o Revit. 

Figura 3 – Tela do Revit

      Mas o que realmente diferencia um software parametrizado? 

      Os softwares parametrizados possibilitam trabalhar com modelos em que podem ser inseridas informações que estão ligados ao modelo e interferem nas modificações do projeto. 

      Tudo isso é feito através de parâmetros que são analisados por meio de algoritmos que são rotina pré-definidas no software.  

      Os programas parametrizados utilizados na engenharia civil  arquitetura já possuem informações construtivas. Por exemplo, no Revit só é possível adicionar uma porta em uma parede e nunca flutuando em qualquer local da área de trabalho como pode acontece em softwares como o AutoCAD.

      Além disso, o modelo também carrega diversas outras informações dos objetos(da porta nesse caso) como dimensões, materiais e outras características que podem ser alteradas ao longo do tempo sem precisar redesenhar o modelo novamente. Essa informações também podem ser inseridas em tabelas quantitativas ou análises diversas.

      Programas como o Autocad trabalham com a digitalização do desenho, porém, as informações contidas nele são exatamente as mesmas contidas no desenho em prancheta.

      No Autocad só podemos representar o desenho com linhas, o programa não identifica o que aquela linha representa e nem guarda informações sobre o objeto representado.  Além disso, é necessário fazer todos os cortes e vistas uma de cada vez e se for realizada alguma modificação no projeto será necessário analisar todas as plantas, cortes e vista para fazer a atualização até que tudo fique em harmonia.  

      Já o Revit, por exemplo, a partir da modelagem 3D automaticamente são gerados todos os cortes, plantas e vistas. Para obter um corte basta demarcar na planta o local em que deseja obter o corte e ele será gerado de modo automático e a cada modificação no projeto todas as partes são atualizadas de forma automática. 

      O Revit também é capaz de reconhecer o que o desenho representa e guarda informações como o tipo de material é utilizado, a quantidade, as dimensões do objeto, dentre outros. Por exemplo, ao selecionar uma parede no revit o programa reconhece que aquele desenho representa uma parede e mostra todas as informações que foram adicionadas ao programa sobre aquele determinado objeto selecionado como o tipo de material utilizado, o tipo de revestimento, a espessura do reboco e diversas outras informações que possam  ser necessárias.  

Software paramétrico e o BIM

       É exatamente pelo fato de que os softwares paramétricos permitem armazenar uma grande quantidade de informação que eles são utilizados na metodologia BIM. 

       BIM é a sigla para Biulding Information Modeling, que em português significa modelagem da informação da construção. Ou seja, o BIM consiste em modelar e compartilhar informações. 

       O software mais utilizado no mundo para modelagem 3D com suporte ao conceito BIM é o Revit, como já citamos, nele é possível adicionar várias informações sobre o modelo. Mas, outros programas paramétricos como Ms project(o mais utilizado para planejamento), e o Navisworks(utilizado para integrar as informações do projeto) também são muito utilizados no BIM. 

      Ao realizar a modelagem 3D e o planejamento de obras nesses softwares existe a possibilidade de unir todas essas informações contidas neles, é nesse momento que a metodologia BIM acontece. 

      Quando reunimos essas informações podemos fazer simulações da construção e ver em que momento cada objeto será construído ou mesmo escolher um momento e enxergar como a obra deve estar naquele período selecionado. 

      Também podemos detectar incompatibilidades entre os diversos projetos, como canos atravessando vigas ou choques de elementos estruturais com elementos arquitetônicos, dentre outros. 

      Tudo isso é integração da informação que foi inserida nos software paramétricos e esse é o seu grande diferencial, basta fazer um bom uso dessas informações. 

      Se você quiser saber mais sobre a metodologia bim, temos vários artigos no site sobre esse tema:

As oportunidade no universo BIM 

Metodologia BIM: não seja atropelado por ela 

A presença do BIM pelo mundo

[yotuwp type=”videos” id=”4idwYl29Taw” player=”cc_load_policy=0&iv_load_policy=3″]

REFERÊNCIAS

Figura 1 – Disponível em: < https://culturainquieta.com/es/arte/arquitectura/item/14643-estas-fotos-antiguas-muestran-lo-que-era-disenar-sin-autocad.html>.

Figura 2 – Disponível em: < https://www.portalintegralcursos.com.br/projetos-autocad/ >.

Figura 3 – Disponível em: < https://www.sienge.com.br/blog/4-bons-motivos-para-usar-bim/ >.

Siga nossas redes sociais:
logo cinza inova
Todos os direitos reservados® – Inova Civil Plataforma Educacional | CNPJ 22.371.237/0001-11
Políticas de Privacidade & Termos de Uso