igor pinheiro ceo

Igor Pinheiro

C.E.O da Inova Civil
Ativo 17

Concreto Biológico: Entenda Como Ele Pode Mudar a Construção

      O concreto é o material de construção civil mais utilizado em todo o mundo e ao longo do tempo desenvolvemos diversas formas de melhorar o seu desempenho. Mas, apesar de todos os esforços para torna-lo cada mais durável e eficiente é inevitável que com o passar do tempo comecem a surgir rachaduras que prejudicam a estrutura e em casos graves pode leva-la ao colapso. Para tentar amenizar esse problema pesquisadores criaram um concreto que possui a capacidade de se alto regenerar, o chamado concreto biológico ou bioconcreto.

Figura 1 – Concreto rachado se regenerando.

 

       O termo concreto biológico está sendo usado em duas linhas de pesquisas, na primeira foi desenvolvido um tipo de concreto para a construção de fachadas naturais, ele possui a incorporação microrganismo como líquens e musgos permitindo proliferação desses na estrutura, funcionando como um tipo de jardim vertical e proporcionando um visual verde e sustentável. A segunda linha de pesquisa é a que iremos discutir aqui, desenvolvida por um microbiologista holandês, essa pesquisa deu origem a um tipo de concreto que consegue se autorregenerar.

      O concreto é um material muito presente na grande maioria das construções civis, mas ele possui um problema que é a sua facilidade de sofrer fissuras e rachaduras ao longo da sua vida útil. Essas fissuras e rachaduras mesmo que pequenas são um problema pois possibilitam a infiltração de água dentro da peça de concreto, podendo causar corrosão nas armaduras de aço em caso do concreto armado e protendido. Apesar de todos os cuidados para evitar esse tipo de problema eles sempre acabam surgindo com o passar do tempo, então pensando numa forma de resolver esse problema foi desenvolvido um concreto chamado de concreto biológico que é capaz de se regenerar e fechar essas fissuras sozinho, impedindo que a água e outros líquidos penetrem na estrutura.

 

  • Como funciona

      Já sabemos que esse concreto consegue se reconstituir, mas, a questão é: como ele faz isso?

      O pesquisador responsável descobriu uma bactéria (Bacillus pseudofirmus) que possui a capacidade de autorregeneração como característica biológica e é resistente a altas e baixas temperaturas. Como o concreto deve se regenerar somente quando houver a ocorrência de rachaduras e permanecer dormente enquanto não houver necessidade, foram adicionadas microcápsulas biodegradáveis contendo as bactérias do tipo citado acima, em sua forma de esporos, e lactato de cálcio que serve de alimento para as bactérias quando elas saem do estado vegetativo.

      As bactérias presentes no concreto ficam em seu estado vegetativo, mas, quando ocorrem fissuras e a água começa infiltrar na estrutura as bactérias em contato com a água acordam e passam a se reproduzir e a se alimentar, ao se alimentarem elas também produzem calcário ( elemento que compõe a pasta de cimento) como resultado da reação, esse calcário produzido é responsável por preencher as rachaduras do concreto, conseguindo fechar fissuras de até 0,8 mm. Como as bactérias se reproduziram e estão em um ambiente que não é propício a sua sobrevivência essas novas irão virar novos esporos que serão ativados quando ocorrerem novas fissuras mantendo um clico contínuo.

      A figura a seguir mostra um esquema do processo de calcificação das fissuras.

Figura 2 – regeneração do concreto.

      Além desse concreto, o grupo de pesquisa também desenvolveu um spray contendo as bactérias, que pode ser aplicado na superfície de estruturas feitas com concreto tradicional e que apresentam fissuras, esse spray funciona da mesma forma que o concreto biológico, produzindo calcário e fechando as fissuras.

Esporos bacterianos: os esporos são uma camada que protege a bactéria, ela se forma quando a bactéria está em um ambiente que ameaça a sua sobrevivência e ou que não possui nutrientes suficientes para o desenvolvimento e proliferação. Como no concreto é necessário que as bactérias sobrevivam até que ocorram fissuras elas já são adicionadas na forma de esporos, garantindo que sobrevivam até que sejam acordadas.

Figura 3 – Bactéria Bacillus Pseudofirmus

       Esse tipo de concreto já está começando a ser utilizado em construções Europeias como uma alternativa para economizar com custos de manutenção de estruturas como paredes de edifícios, pontes, barragens, dentre outros. Segundo a HealCon, organização que deve promover o uso do material, somente na Europa são gastos anualmente cerca de 6,8 bilhões de dólares para reparar estruturas com fissuras e rachaduras, o concreto biológico é ótima opção para reduzir a necessidade de manutenção. O único problema com esse material é que ele custa cerca de 40% a mais que o concreto convencional, o que é um aumento considerável nos custos, mas, já estão sendo estudadas formas de baratear o concreto biológico para garantir que o benefício de economia com manutenção compense os maiores gastos como o material.

 

[yotuwp type=”videos” id=”Nsgi-WUklEM” player=”cc_load_policy=0&iv_load_policy=3″]

 

Referências

Figura 1 – Disponível em: < https://engenheironaweb.com/2017/07/29/voce-conhece-o-bioconcreto-o-concreto-que-se-regenera/ >.

Figuras 2 e 3 – Soares, Marlesson. A IMPLANTAÇÃO DO BIOCONCRETO DESENVOLVIDO PARA SOLUCIONAR PROBLEMAS ESTRUTURAIS TAIS COMO: FISSURAS, RACHADURAS E TRINCAS. UNINORTE. Manaus.

Ecycle. Cientistas holandeses criam concreto biológico que pode se regenerar. Disponível em: < https://www.ecycle.com.br/component/content/article/8-tecnologia-a-favor/1203-cientistas-holandeses-criam-bio-concreto-que-se-regenera.html >.

 

Siga nossas redes sociais:
logo cinza inova
Todos os direitos reservados® – Inova Civil Plataforma Educacional | CNPJ 22.371.237/0001-11
Políticas de Privacidade & Termos de Uso